Inicial >> Notícias e eventos >> 15 de janeiro de 2016

BALANÇO DE 2016 NO LABORATÓRIO DE TECNOLOGIA MINERAL

16 de janeiro de 2017

 

2016 foi mais um ano muito importante na história do LTM. Alguns dos principais acontecimentos que marcaram o ano foram:

 

Projetos

O ano marcou o encerramento, com sucesso, de vários projetos. A fase I do projeto “Avaliação Preliminar da Pertinência da Produção de Areia de Brita no Rio de Janeiro”, da qual participaram 19 empresas de produção de agregado no estado, capitaneadas pelo Sindribrita-RJ, foi encerrada nesse ano. Esse projeto teve a participação direta de Mateus e Pedro. O projeto de otimização do circuito de produção de areia para argamassa da Ecomix Ltda, que contou com a participação do Gabriel, Victor e Juliana, projetos de aplicação do método dos elementos discretos na simulação de uma peneira Haver e de moinho de bolas para a DEM SL Peru (Gabriel, Rodrigo e Emerson), bem como a entrega de uma nova versão do software LTM Analyst para a ME Elecmetal do Chile (Rodrigo), também foram encerrados nesse ano. Diversos projetos foram realizados no ano tratando de temas variados na área de minério de ferro e produtos siderúrgicos. Um deles foi o uso da simulação na otimização do carregamento de vagões de trens com minério de ferro (Rodrigo e Emerson), realizado para a GE Global Solutions. Um outro projeto tratou da otimização de peneiras e rolos usando o método dos elementos discretos, para a Vale, que contou com participação de Rodrigo, Benito, Emerson e Pedro; e o projeto de simulação de diferentes estratégias de carregamento de silos usados na alimentação de altos-fornos, visando reduzir a degradação de coque, foi realizado para a Paul Wurth S.p.a. Itália (Rodrigo). Por fim, Pedro e Marcelo representaram o LTM em um projeto de vários laboratórios da COPPE que tratou de uma análise técnica das operações do Complexo de Tubarão sob a ótica ambiental, realizado para a Vale.

 

Na categoria dos projetos/serviços de curto escopo e duração, no ano que se encerrou tivemos como clientes as empresas Dinamis, Petra Agregados, Metso, Norsk Hydro, Laterita, Polimix, EBAM e Odebrecht Ambiental.

 

Dentre os projetos que continuam em 2017 está incluído o projeto de otimização via simulação da usina de Minas Rio da Anglo American. No biênio 2016-2017 está sendo realizada a otimização via simulação de todo o circuito de cominuição, sendo que o projeto conta com a participação direta de Juliana e Gabriel. Outros projetos que continuam em 2017são o projeto aprovado no edital FAPERJ-VALE, que trata da modelagem e otimização de prensas de rolos na cominuição de pellet feed, o projeto que trata da modelagem da degradação de pelotas verdes de minério de ferro, ambos juntos a Vale, além de projeto de otimização do circuito de britagem visando a produção de areia de brita, que tem como cliente a Mineração Santa Luzia. O projeto P9Q, negociado durante o ano de 2016, há pouco iniciou, e contará com a participação do LTM até 2018. Continuou em 2016 o projeto junto ao ITV-Vale, que trata da investigação entre a microestrutura e comportamento na cominuição de minérios itabiríticos, o qual conta com a participação de Gabriel.

 

Marcelo ainda teve projeto aprovado no edital “Cientista do Nosso Estado” da FAPERJ, que o coloca na elite dos pesquisadores do estado do Rio de Janeiro.

 

Cursos Ministrados
 

Ministrar cursos é tarefa rotineira no LTM, uma vez que somos responsáveis por diversas disciplinas a nível de graduação e pós-graduação. Os cursos externos, entretanto, são oportunidades nas quais temos contato com um público externo que não faz parte do dia-a-dia do laboratório.

 

2016 foi particularmente prolífico na oferta de cursos externos por membros do LTM. Em abril, Marcelo ministrou curso sobre “Cominuição e Classificação” como parte do mestrado em tecnologia mineral da VALE-ITV com Instituto Superior Politécnico (ISPT) em Tete (Moçambique). Em novembro, Marcelo e Gabriel ministraram curso com o mesmo tema para técnicos da empresa New Steel, nas dependências do LTM. No mesmo mês, Marcelo, junto a outros colegas do GCC (Aubrey Mainza – UCT; Magnus Evertsson – Chalmers; e Hakan Benzer – Hacettepe) ministraram curso como parte do “AMIRA AGA Training Workshop”, em Johanesburgo (África do Sul), onde engenheiros da Anglo Gold Ashanti tiveram a oportunidade de acompanhar os avanços recentes na técnica e modelagem de processos de cominuição e classificação.

 

Dissertações/teses defendidas

 

Diversos alunos estão na reta final para a conclusão da sua pós-graduação no LTM. Quase “ao apagar das luzes” de 2016 Victor defendeu com sucesso seu mestrado, orientado por Marcelo e Rodrigo, na validação do modelo mecanicista da moagem. Esse foi a primeira orientação formal do Rodrigo de uma dissertação de mestrado.

 

Vários projetos de conclusão de curso foram defendidos no LTM: Leonardo defendeu trabalho que tratou da modelagem da degradação de coques para siderurgia, Ananda defendeu trabalho que tratou da modelagem dinâmica de hidroclassificadores, enquanto Bruno defendeu seu trabalho que tratou da simulação de carregamento de alto-forno usando DEM, todos esses orientados pelo Prof. Rodrigo. Hayla defendeu trabalho que tratou da remoção de biotita de areia de brita por separação magnética, tendo sido co-orientada por Mateus e Marcelo.

 

Publicações e participações em congressos

Conforme previsto nas “expectativas para 2016”, o ano foi marcado pelo forte esforço da equipe na publicação de artigos em periódicos científicos. Um número recorde (11) de artigos foi submetido para publicação em periódicos nacionais e internacionais, dos quais 7 já foram aprovados e até publicados! Esses trabalhos claramente mostram as fortes interações com outros grupos, uma vez que contaram com co-autoria de colaboradores tanto a nível nacional (UENF, Labest-COPPE, Anglo American), quanto internacional (JKMRC/University of Queensland e Hacettepe University).

 

Em 2016 alguns membros do laboratório participaram de alguns congressos, com destaque para o ABM Week (Rodrigo, Pedro, Túlio e Raphael). Marcelo apresentou palestras convidadas em dois eventos promovidos pela Vale, um que tratou de prensagem e filtração (maio) e outro que tratou de “Big Data” (outubro). Nesses eventos, que fizeram parte dos “Fóruns de Gestão do Conhecimento”, foram apresentados trabalhos na área de simulação da prensagem de rolos e uso do método dos elementos discretos na mineração e siderurgia.

 

Ainda na área de publicações, Marcelo foi convidado para compor o comitê editorial de dois periódicos de circulação internacional, o International Journal of Mineral Processing, o mais tradicional periódico da área de tecnologia mineral, e o Helyon, um periódico novo de caráter interdisciplinar, ambos editados pela mais importante editora internacional nas áreas de ciências e engenharia, a Elsevier Science.

 

Por fim, cada vez mais a repercussão do trabalho de pesquisadores está sendo medida pelo número de citações a seus trabalhos. Exatamente nessa área foi ultrapassado um marco importante para Marcelo: 1000 citações na base Scopus. Evidentemente, essa marca só foi alcançada com a colaboração de todos, tanto dos parceiros internos quanto externos!

 

Premiações

Dois trabalhos desenvolvidos no LTM foram agraciados com Prêmios de Reconhecimento Técnico da Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração (ABM) entregues no encerramento no evento anual da associação (ABM Week) de 2016.

 

O primeiro, “AVALIAÇÃO DE INTERAÇÕES ENTRE QUEBRADORES E CLUSTERS EM FORNO DE REDUÇÃO DIRETA USANDO O MÉTODO DOS ELEMENTOS DISCRETOS”, de autoria do doutorando Fernando e dos docentes Rodrigo e Marcelo, recebeu o Prêmio de Reconhecimento Técnico "ArcelorMittal: Qualidade e Produtividade", tendo sido originado de um projeto realizado com a VALE e da dissertação de mestrado do Fernando no PEMM.

 

O segundo, “DEGRADAÇÃO MECÂNICA DE PELOTAS DE MINÉRIO DE FERRO DURANTE O MANUSEIO E TRANSPORTE. PARTE 1: MODELO MATEMÁTICO E SIMULADOR”, de autoria dos pesquisadores do LTM (Marcelo, Rodrigo e do ex-aluno Marcus da Silveira), além dos engenheiros da Samarco (Hélio Cardoso Pereira, Maciel Rodrigues Bianchi, Maurício Marcos Otaviano e Bruno Pereira), foi agraciado com o Prêmio de Reconhecimento Técnico “Vale”, tendo sido resultado de um projeto em parceria com a SAMARCO que se iniciou em 2009.

 

Esses prêmios consolidam o reconhecimento nacional à excelência do LTM não somente na área de processamento mineral, mas também no manuseio de matérias-primas siderúrgicas, lembrando que um trabalho na área de pelotas já havia rendido a 3ª colocação no Prêmio ABM de Inovação em 2014.

 

Temos também grande orgulho pelas realizações dos nossos ex-alunos: Daniel Francioli, que concluiu seu Trabalho de Conclusão de curso no LTM em 2015, e que agora é mestrando na Universität Duisburg (Alemanha) foi o vencedor europeu do Steel Challenge de 2015!  Neste ano de 2016, outro ex-aluno nosso se destacou no Steel Challenge, Leonardo Ciancio, também está cursando o mestrado na Universität Duisburg, ficou em terceiro lugar na eliminatória europeia.

Equipe

Em 2016 o LTM admitiu diversos novos alunos de pós-graduação. Em tempo integral, Victor foi admitido ao doutorado, enquanto Luciana, Hayla e Rafaella foram admitidas ao mestrado. Em tempo parcial, admitimos no mestrado Bruno (TKCSA), Anderson Soares (New Steel), Anderson Thomazini e Gilvandro (Vale).

 

O maior desafio que tivemos que encarar no ano que passou foi o falecimento do Mateus, decorrente de acidente ocorrido em 22 de dezembro. Geólogo de formação, Mateus teve um enorme impacto como profissional, pois foi capaz de fazer uma ponte entre a sua área de conhecimento e o processamento mineral, agregando imenso valor em tudo o que fez. Igualmente importante foi seu impacto na vida dos colegas, sempre sendo um colega ético, amigo e muito culto. Sua passagem pelo LTM será certamente lembrada enquanto o laboratório existir.

Expectativas para 2016

 

Todos os gurus da economia apontam para esse como mais um ano de crise no Brasil. Tomando como base nosso desempenho muito positivo em 2016, temos toda confiança que 2017 também será um ano de grandes e importantes realizações no LTM. De fato, projetos já contratados e em andamento, bem com o tamanho satisfatório da equipe atual do laboratório nos faz acreditar que estamos no caminho certo. A maior concorrência pelas bolsas de mestrado e doutorado do PEMM, que tem limitado o acesso de alguns de nossos alunos a essas bolsas está sendo parcialmente compensado pelos nossos esforços em viabilizar bolsas vinculadas a nossos projetos. Isso prova que não estamos de braços cruzados esperando uma solução mágica do governo federal nessa questão tão importante para nossos pós-graduandos. Inclusive, a opção racional, tomada há alguns anos, de resgatar a atuação do LTM na área de agregados para a construção civil e de intensificar a atuação no laboratório nas áreas de fronteira do tratamento de minérios (pelotização de minério de ferro e siderurgia) já está rendendo importantes dividendos com os vários projetos.

 

Como somos engenheiros, temos que traçar algumas metas quantitativas e objetivas para o ano que começa. Assim, visamos ultrapassar o recorde de número de artigos submetidos para publicação em periódicos, alcançado em 2016 (11) e, ao menos, igualar o recorde de dissertações e teses defendidas, alcançado em 2014 (6). É claro que essas metas audaciosas somente serão alcançadas com o empenho e dedicação de todos, desde o Sr. Luiz, que zela pelas nossas áreas de convívio, até os docentes, passando por toda a equipe!